Acessibilidade móvel

postado em 11 de set de 2014 09:36 por Rodrigo Neves   [ 11 de set de 2014 09:37 atualizado‎(s)‎ ]

Um tema que muito se ouve falar é acessibilidade, geralmente se vê uma preocupação grande por parte da população mundial quando o assunto é este. Sempre são cobradas acessibilidades urbanas como rampas, elevadores, vagas de estacionamentos, direito de entrar em determinados locais com cães guias, computadores com softwares especiais e muitas outras coisas são criadas e reivindicadas pelas cidades, escolas, universidades, a população de um modo geral etc..

         Mas quanto à programação? O que os programadores e futuros programadores estão fazendo a respeito? Atualmente vivemos em um momento onde os smartphone predominam no mercado de celulares em todo o mundo, você já parou para imaginar a dificuldade em que um deficiente visual tem para utilizar estes aparelhos?

         Existem muitos aplicativos que dão suporte a acessibilidade, mas conversando com um amigo que é deficiente visual e possui um celular Moto X, e que me deu a ideia em escrever este artigo, ele me falou que tem muita coisa útil em alguns programas, mas ainda falta muito para melhorar.



         Para pessoas que enxergam é fácil identificar um botão com desenho de uma folha com uma caneta e saber que ele significa que você vai escrever uma nova mensagem de texto, mas e para um deficiente visual, como identificar isso sem o uso da acessibilidade?       Nós futuros programadores, temos que criar a cultura de não pensarmos em nossos programas e aplicações somente para o uso de pessoas comuns, sem algum tipo de deficiência, a criação de um app requer muito tempo de desenvolvimento isto é fato, mas pense na diferença que seu aplicativo com uma dedicação maior a acessibilidade fará para um deficiente visual.  Este pode ser o seu diferencial no mercado de trabalho.

 

 Poucos programadores se dedicam a criação de recursos especiais em aplicações. Um aplicativo interessante que pesquisei para a plataforma android são os aplicativos do CPqD (O Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações). O centro é um dos maiores centros de pesquisa e desenvolvimento em telecomunicações e tecnologia da informação da América latina. Localizado em Campinas, São Paulo, ele atua na pesquisa, desenvolvimento e suporte de diversos setores, tais como telecomunicações, financeiro, energia elétrica, industrial, corporativo e administração pública.

O aplicativo desenvolvido por eles utiliza recurso de narração automática por síntese de voz para facilitar o acesso do usuário às principais funções do aparelho. Essas funções são representadas por ícones na tela touchscreen do smartphone. Na medida em que a pessoa desliza o dedo sobre a tela, uma voz sintetizada informa a função correspondente àquela área. Com mais um toque, o usuário tem acesso à função: realizar e receber ligações, enviar e receber mensagens de texto (SMS), consultar o histórico de ligações, o nível de bateria, a data e hora e a lista de contatos telefônicos, entre outras.

         Além dessas funções básicas, o sistema oferece também algumas funções avançadas, como despertador (com lembrete de voz), localização e auxílio ao deslocamento, tocador de música e leitor de arquivos de texto, por exemplo. O objetivo é dar mais autonomia e privacidade à pessoas com deficiência visual.

         O foco deste programa é auxiliar os mais de 6,5 milhões de deficientes visuais existentes no Brasil; isto de acordo com o Censo do IBGE 2010.

         Um dos grandes diferenciais deste aplicativo é que ele também pode ajudar a pessoas com baixo letramento e também ajudar a se familiarizarem com tecnologia.

         Outro exemplo de acessibilidade é o aplicativo voltado para comunicação com deficientes auditivos, o Hand Talk, para as plataformas iOS e Android e Black Barry. 

 

     “Somos uma plataforma de tradução digital para Libras, a Língua Brasileira de Sinais, utilizada pela comunidade surda no Brasil. À empresa, premiada internacionalmente e referência no serviço de tradução de conteúdos para Libras, é comandada por um simpático intérprete virtual, o Hugo, personagem 3D que torna a comunicação interativa e de fácil compreensão.”

        

         Este aplicativo é um intérprete virtual chamado Hugo, que te auxilia na comunicação por Libras com deficientes auditivos. Ele converte SMS, texto em livros e revistas, áudio e placas de informações. Tudo isso para facilitar a sua comunicação. Também de acordo com dados do CENSO do IBGE 2010, o Brasil possui quase 10 milhões de pessoas com algum tipo de problema auditivo, entre elas, há uma grande parcela que não compreende o português e depende exclusivamente da Libras para se comunicar.


         Então, que estas iniciativas sirvam de exemplo a todos nós futuros programadores, para que possamos fazer diferença. Desenvolver aplicações e aplicativos para o uso e desenvolvimento de crianças e adultos com algum tipo de deficiência. Você já pensou nisso?

         Para fazer o download gratuito do CPqD Alcance, basta acessar a loja Google Play, no próprio aparelho, e procurar pelo aplicativo. (somente para Android), já o Hand Talk também basta acessar a loja de aplicativos do seu smartphone e procurar pelo app, (este você encontra para iOS, Android e BlackBarry).